Doutrina/Teologia

23 de julho de 2012
 

A necessidade da expiação

Mais artigos de »
Escrito por: André Aloísio

Quando se fala em salvação, um assunto extremamente importante e pertinente que deve ser levado em consideração é a expiação. A expiação pode ser definida em termos gerais como “a obra que Cristo realizou em sua vida e morte para obter nossa salvação” (GRUDEM, 1999, p.471).

Quando se trata da expiação, por sua vez, uma discussão que lança muita luz sobre a sua natureza é aquela que envolve a necessidade da expiação. Por que, para salvar o homem, Deus optou por esse plano de salvação e não por outro? Por que Ele não salvou o homem meramente por um decreto de Sua vontade? Era realmente necessário que Cristo se tornasse homem, morresse e, essa morte fosse numa cruz?

No decorrer da história da Igreja, essas perguntas foram respondidas basicamente de duas formas, que recebem o nome de necessidade relativa (ou necessidade hipotética) e necessidade absoluta (ou necessidade consequente) da expiação.

A proposta deste trabalho será, em primeiro lugar, apresentar essas duas posições sobre a necessidade da expiação, em seguida, mostrar como elas foram defendidas no decorrer da história por diversos teólogos, especialmente nos períodos da Patrística, da Escolástica e da Reforma, e finalmente, concluir com uma rápida avaliação de qual posição se harmoniza melhor com o ensino bíblico.

Faça o Download (arquivo PDF)



Sobre o Autor

André Aloísio
O autor é seminarista no Seminário Teológico do Nordeste e obreiro na Congregação Presbiteriana em José de Freitas (PI).



 
 

 

Apontamentos da história da Assembleia de Westminster

A Assembleia de Teólogos de Westminster (1643-1649) foi um grande marco histórico e teológico que fechou um ciclo dourado de produção de documentos confessionais.
por Raneire Menezes
 

 
 

29 de janeiro: meu dia.

29 de janeiro sempre foi dia de festa em minha casa. Ao menos em meu coração. O dia continua impregnado em minha alma, embora com um sabor diferente desde 2006. Afinal, em 16 de julho de 2005 faleceu Francisco Sabino de Araú...
por Felipe Sabino
 

 
 

Jesus Cristo, o ungido do Senhor, reina para sempre

O salmo dois, exuberantemente messiânico e centrado no senhorio de Deus sobre todas as coisas, principia revelando aquela que é a essência do pecado, a rebelião do homem contra o criador; e a recusa do homem em se submeter ...
por José Mario Silva
 

 

 

Política e púlpito: o que Deus requer?

Lançamento da Editora Monergismo.
por Felipe Sabino
 

 
 

Psychopannychia

Uma refutação do erro nutrido por algumas pessoas sem habilidade, que de forma ignorante imaginam que no intervalo entre a morte e o julgamento a alma dorme.
por João Calvino
 

 
 

O evangelho do Reino

Refutação do dispensacionalismo.
por Felipe Sabino