Fórum Monergismo.com
Julho 30, 2014, 08:15:12 *
Bem-vindo, Visitante. Por favor faça o Login ou Registro.

Login com nome de usuário, senha e duração da sessão
Notícias: Versão eletrônica do jornal Brasil Presbiteriano:

http://www.ipb.org.br/versao_pdf/
 
   Home   Ajuda Pesquisa Login Registrar  
Páginas: [1]
  Imprimir  
Autor Tópico: Qual é o maior desafio para a Igreja neste século XXI?  (Lida 6017 vezes)
Flávio Teodoro
Visitante
« : Maio 12, 2008, 07:05:52 »

Em sua opinião, qual é o maior desafio para a Igreja neste século XXI?

Vemos o arminianismo o neo-pentecostalismo o tradicionalismo o ecumenismo a ortodoxia morta em muitas igrejas ditas como reformadas o que diferi e muito das suas origens, da crença dos seus precursores, fundadores! Podemos Aprender da Historia? Quais as lições que o passado nos apresenta para que possamos nos corrigir no presente? O que da Historia da Igreja evitar repetir a fim de assimilarmos mais e mais a Igreja do presente com a Igreja Primitiva? Partindo do pressuposto ou possível verdade de que a obra dos puritanos foi inacabada, no que devemos prosseguir em progresso ao alvo de uma Igreja pura hoje? Deles ou das Confissões de fé, o que conservar? O que não? A você que tem certo conhecimento da Historia da Igreja Cristã e lamenta o presente estado (geral) em que a Igreja se encontra hoje nos compartilhe com sua sugestão, indicando o que podemos fazer e o que devemos fazer; a Igreja como um todo (igrejas) ou cada membro em particular a fim de termos um retorno a Bíblia, a vida cristã da Igreja como vemos retratada nas paginas do NT.   
Registrado
Renascido
Visitante
« Responder #1 : Maio 14, 2008, 11:54:34 »

O maior desafio das igrejas que se dizem reformadas é o culto, veja estas liturgias da época da reforma e compare com nossas atuais liturgias, as mais biblicas eram a de knox, e a de westminster, sem dúvida estámos longe desse padrão.

http://www.monergismo.com/textos/liturgia/comparacao_liturgia_reformada.htm
Registrado
Flávio Teodoro
Visitante
« Responder #2 : Maio 15, 2008, 02:22:15 »

Renascido

Muito apropriado o texto! Interessante que não há nenhuma indicação em favor do estilo de culto moderno!

Por favor, irmão, se você conhecer outros textos que tratem sobre o “Diretório de Westminter”, para maiores informações, poste para nós. 

Abraço!

Aproveitar e recomendar um excelente livro que aborda esta questão do “declínio do cristianismo” em nossa presente geração.

“Com Vergonha do Evangelho” Ed. Fiel – Autor Jonh MacArthur Jr.
Registrado
Um Catarina
Visitante
« Responder #3 : Maio 15, 2008, 03:01:13 »

Acredito que o maoir desafio da igreja cristã de nossa época (final do século XX e inicio do século XXI) é de caráter hemeneutico. pois as tendencias pós-modernas tendem a desqualificar a verdade... ou melhor, afirmam que a verdade é relativa, não existe verdade absoluta. vivemos num mundo extremamente relativista e este pensamento tem entrado de maneira muito forte na igreja.

Considero que este é o maior problema que enfrentamos, pois atinge a base, a Palavra...
não quero minimizar os problemas liturgicos, mas desta perspectiva os considero secundários. mesmo porque só com entendimento biblico ofereceremos uma liturgia adequada.

Registrado
Renascido
Visitante
« Responder #4 : Maio 15, 2008, 05:41:03 »

Acredito que o maoir desafio da igreja cristã de nossa época (final do século XX e inicio do século XXI) é de caráter hemeneutico. pois as tendencias pós-modernas tendem a desqualificar a verdade... ou melhor, afirmam que a verdade é relativa, não existe verdade absoluta. vivemos num mundo extremamente relativista e este pensamento tem entrado de maneira muito forte na igreja.

Considero que este é o maior problema que enfrentamos, pois atinge a base, a Palavra...
não quero minimizar os problemas liturgicos, mas desta perspectiva os considero secundários. mesmo porque só com entendimento biblico ofereceremos uma liturgia adequada.



Toda liturgia é um reflexo da soteriologia, pois quando a igreja acredita que pode moldar o culto a Deus segundo a vontade dos homens, segue que também mudarão a soteriologia segundo a mesma vontade.Ademais ficou registrado na escritura o exemplo de punição da nação de Israel quando mudavam o culto estabelecido por Deus, poderia citar vários exemplos mas lembrando somente aqueles que foram punidos de imediátos,tais como Nadabe e Abiú e o rei Uzias.Fica demonstrado que o culto que agrada a Deus foi estabelecido pela vontade Dele e não a nossa.
Registrado
Um Catarina
Visitante
« Responder #5 : Maio 16, 2008, 01:23:13 »

Renascido,
"Fugindo da conversação cíclica..."
acho que foi isso que eu disse!
Registrado
Renascido
Visitante
« Responder #6 : Maio 16, 2008, 08:04:17 »


Considero que este é o maior problema que enfrentamos, pois atinge a base, a Palavra...
não quero minimizar os problemas liturgicos, mas desta perspectiva os considero secundários. mesmo porque só com entendimento biblico ofereceremos uma liturgia adequada.



O problema joão é que você enfatizou só o conhecimento, nossos pastores não somente sabem, como juram solenemente diante da congregação fidelidade aos padrões de westminster, não se trata de conhecimento somente mas de obediência a palavra e fidelidade aos seus juramentos prestados.
« Última modificação: Maio 16, 2008, 08:09:41 por Renascido » Registrado
Juliano
Visitante
« Responder #7 : Junho 18, 2008, 06:53:14 »

Os padrões de Westminster não foram elaborados por homens?

Eles não eram falhos?

O estilo de 300 anos atrás ainda deve ser o mesmo hoje?

O culto das outras denominações que não seguem o padrão de Westminster não são aceitos por Deus? Deus não salva em outras igrejas?

O Espírito Santo está preso à formulas, a métodos?

Será que o maior desafio para a Igreja neste século não é a busca de um avivamento genuíno que nos leve a sairmos das 4 paredes e irmos ao campo onde as almas estão?

A Igreja do Evangelho Pleno, na Coréia, experimentou um crescimento parecido com a época de João Weslwey, Moody e outros e nunca li um livro do pastor David Young Cho que dissesse que a igreja cresceu porque adotou o padrão de Westminster.

Será que não há fanatismo e apego demais aos pais da reforma e nos esquecemos que Deus não está precisando de Calvino nos nossos dias. Deus está precisando de Flávio Teodoro, Renascido, Juliano, João Calvinho, Marcos, Felipe Sabino... Todos cheios do Espírito Santo para incendiar nossa geração!

É assim que creio.

Em Cristo,
Juliano.
 
Registrado
Raniere Menezes
Membro Emérito
Membro Ninja Master
******
Offline Offline

Mensagens: 4626



« Responder #8 : Junho 18, 2008, 07:14:42 »

Juliano, é louvável sua paixão por avivamento. Realmente a CFW é falha por ser elaborada por homens, mas é muito difícil desfazer sua hermeneutica - alguém se habilita?.-  Há pontos que nunca serão mudados, pois são fundamentados no conhecimento de gerações de cristãos (na verdade). Deus salva seus eleitos, mesmo que não conheçam a CFW. Quanto ao Espírito Santo preso à fórmulas, isso é um sofisma pentecostal. O Espírito Santo é Soberano, isso prega o Calvinismo, por sinal Calvino foi chamado de Teólogo do Espírito Santo. certamente a Igreja tem suas falhas, e muitas. Qualquer fanatismo é prejudicial, mas desprezar os pais e guias da tradição é outro erro. Não podemos desprezar nossos irmãos do passado que conquistaram áreas importantes teológicas, muitas vezes com sangue e perseguição. Honra a quem honra.
Registrado
Flávio Teodoro
Visitante
« Responder #9 : Junho 19, 2008, 11:38:10 »

nos esquecemos que Deus não está precisando de Calvino nos nossos dias. Deus está precisando

Juliano, se de fato Deus não precisa de Calvino então Ele não precisa nem de Flávio Teodoro, Renascido, Juliano, João Calvinho, Marcos, Felipe Sabino e nem de você. Piscar
Registrado
marcos
Visitante
« Responder #10 : Junho 20, 2008, 05:44:03 »

O questionamento de Flávio se faz pertinente aos nossos dias. Sorridente
Sabedores dos padrões da CFW e de Is 6, é que adoramos a Deus no culto público.
gostei muito do cometário dos amados irmãos, e realmente nós pastores fazemos um juramento.
 [citado por renascido]nossos pastores não somente sabem, como juram solenemente diante da congregação fidelidade aos padrões de westminster, não se trata de conhecimento somente mas de obediência a palavra e fidelidade aos seus juramentos prestados.[/table]
faz-se necessário comentar que somos brasileiros e a forma de européia não cabe em nosso culto, entendam que estou falando não do exagero que vemos por ai, mas comento a alegria do povo brasileiro, alegria esta que mudou a maneira de torcer no esporte de tênis. Sorriso forçado
Nossos cultos precisam desta caracteristica, faço este comentário por ver a mecanização do culto, muito embora sentimos a presença de Deus, mas é importante que sejamos ou tenhamos liberdade para cultuar a Deus nos padrões da CFW e de Is6, mas sobretudo com a característica que os brasileiros possuem. Sorriso forçado

Outra observação que considero importante é que relamente temos que ter um envolvimento maior com Deus, ou melhor, vida devocional em maior amplitude, o que falta em muito aos membros de nossas igrejas, lógico que não falo de forma genérica, mas em grande escala. Chorar
Em parte até concordo com o Juliano quanto ao desejo de avivamento, sabendo que este é pessoal e vem a impactar o coletivo.
Devemos louvar a Deus em nossos cultos e estes tem realmente de estar contextualizado com os nossos dias.
Um abraço ao queridos irmãos.
Registrado
Páginas: [1]
  Imprimir  
 
Ir para:  

Powered by MySQL Powered by PHP Powered by SMF 1.1.13 | SMF © 2006-2009, Simple Machines LLC XHTML 1.0 Válido! CSS Válido!