Reforma

Qual é a punição pelo pecado?

By 6 de setembro de 2019 No Comments

Resposta: Castigo eterno. A próxima pergunta que a maioria faz é: por quê? Por que o inferno tem que durar para todo o sempre? A resposta é o que distingue o cristianismo bíblico de todas as outras religiões do mundo.

O caráter de Deus

Deus nos revela na Bíblia que ele é autoexistente, independente e que é a autoridade final e o juiz sobre todas as coisas. Em suma, ele é Deus. Ele mesmo criou a tudo e a todos por si próprio. Como se dá com o restante da criação, a humanidade foi criada para o prazer de Deus. O padrão dele é inflexível e seu caráter é sem pecado (Gn 1.1; Sl 50.6; At 17.24-29; Cl 1.16).

A pena do pecado

Como resultado do seu caráter perfeito e inabalável, Deus não tolera imperfeição. Quando nós, sendo criação de Deus, falhamos em fazer o que ele manda, ou fazemos o que ele proíbe, sua reação é a de ira implacável. Deus é um Deus eterno, com perfeição eterna, expressada nos termos de sua justiça e santidade. Uma só infração, por menor que achemos que ela seja, traz consigo o ônus eterno de uma pena eterna. Por isso, em sua própria raiz a rebelião do pecado é um ataque contra o caráter eterno de Deus e, portanto, merecedora do castigo eterno. É simplesmente por essa razão que o inferno deve durar para sempre (Sl 119.142; Is 9.6; Mt 21.41,46; Rm 6.23; Tg 2.10).

O Único que poderia pagar pelo pecado… pagou pelo pecado

Entretanto, há excelentes notícias para quem vê Deus como justo em seus julgamentos; pois, embora ele seja eternamente santo, reto e justo, é também eternamente amoroso e perdoador. Em amor ele providenciou em seu Filho o único meio possível de perdão. Jesus, sendo ele próprio Deus, fez-se homem e viveu como homem. Jesus obedeceu e amou a Deus de modo perfeito, no lugar dos pecadores, os quais jamais amaram e obedeceram de forma perfeita (Jo 3.16; Jo 3.36; Jo 14.6; Rm 5.6-8).

JESUS, o SALVADOR que satisfaz a ira

Além disso, Jesus foi à cruz para se colocar no lugar de rebeldes. Na cruz, sendo ele o eterno Filho de Deus, Jesus se ofereceu como sacrifício eterno a Deus e substituto dos pecados de rebeldes. Na cruz Deus tratou a Jesus como se estivesse julgando pecadores como nós (ainda que aquele não possuísse pecado), para que pudesse tratar os pecadores como se esses fossem perfeitos como Jesus (ainda que sejamos pecaminosos). Esse perdão não é automático como votar ao atingir 18 anos de idade: antes, isso advém do reconhecimento de Jesus como rei e soberano sobre nossas vidas. Ao fazer isso você se converte da rebelião (pecado) e se converte a Jesus (submissão). É essa postura de se submeter a Jesus como rei e de segui-lo como Senhor que caracteriza a vida cristã e dá prazer a Deus (2Co 5.21; Lc 13.3; Rm 3.23,24).

Como você responde a Deus?

Deus provou que aceitou o sacrifício de Jesus e que ele lhe agradou, ressuscitando-o dos mortos. Ele agora declara que cada pessoa precisa se converter do pecado e se converter a Jesus. Como você responde ao chamado de Deus? Indiferença = rejeição. Venha ao Salvador para obter perdão (Mt 11.28,29; 2Co 5.21).


Tradução: Vanderson Moura da Silva