Casamento e FamíliaDiscipuladoÉticaVida Cristã

Não deixe o seu marido por ela: uma carta a uma adúltera em potencial por Rosaria Butterfield

By 27 de fevereiro de 2019 No Comments

Cara amiga,

Eu agradeço por você ter confiado a mim o seu segredo.

Do outro lado da mesa da cozinha nesta tarde, você abriu o seu coração. Quando você casou com o seu namorado do ensino médio com 19 anos, você nunca suspeitaria que chegaria aqui. Agora, com 39 anos, depois de 20 anos de casada, você se diz lésbica.

Em lágrimas, você me diz que você “saiu do armário” e que você não olha para trás. Você não teve um caso. Ainda. Mas tem essa mulher que você encontrou na academia. Você malha com ela toda manhã e você envia mensagens para ela o dia todo.

Ainda que você seja membro pactual de uma igreja fiel, esteja sob uma pregação sólida e tenha uma boa pose para mostrar às crianças, você tem desprezado o seu marido interiormente já faz um tempo. Ouvir ele ler a Bíblia te faz estremecer. Você não tem momentos íntimos com ele já faz um ano. Você me diz que não aguenta mais.

É bom ser lésbica?

Você me diz que deixar o seu marido por uma mulher não é um ato de infidelidade. Você me diz que é ser fiel a quem você realmente é e a quem você sempre foi. Na mesa da minha cozinha, você abre o livro de um “cristão gay” e lê isto a mim em voz alta: “A raiz da minha atração homossexual é algo genuinamente bom: é o meu anseio por uma amizade profunda”. Você me diz: “eu sou um cristão homossexual e eu acabei de descobrir o meu eu autêntico”.

Quando você lê esse livro, você se vê olhando no espelho. Você fica cativada pelo seu reflexo nele.

Sim, você e eu estamos olhando para um espelho quando lemos as suas palavras. Mas não é o espelho fiel da palavra de Deus. Pelo contrário, é um espelho de circo. E o reflexo que passamos a ver é distorcido, retorcido, misturado com essa formatação moderna da pessoalidade por meio da intersecção de categorias sexuais e sociais, o que esse autor chama de “a nuance da identidade sexual”. Você vai encontrar um caminho nesse espelho. É um caminho para o inferno.

Espelho de circo

Você presume que por partilharmos do mesmo padrão de fraqueza e pecado que eu abrace o novo vocabulário desse espelho de circo. Você me pergunta: “Como você consegue fazer um casamento com orientações sexuais mistas funcionar?” Você fala a linguagem da neo-ortodoxia do nosso tempo.

Um casamento de orientações sexuais mistas combina um cônjuge que “é” homossexual e o outro que “é” heterossexual. Essa nova nomenclatura para a sexualidade e a humanidade se tornou a lógica reinante (e ímpia) desse novo mundo não cristão. Uma pessoa pode se sentir gay, mas isso nunca é o que ela inerentemente é. Porque todos os seres humanos foram feitos à imagem de Deus, somos chamados a refletir a imagem de Deus em conhecimento, justiça e santidade. Somos pessoas caracterizadas por Gênesis 1.27, nascidos homem ou mulher com uma alma que irá durar para sempre e um corpo que ou será glorificado na Nova Jerusalém ou sofrerá angústia indizível no inferno.

Nascer homem ou mulher vem com responsabilidades, bênçãos e restrições éticas e morais, segundo o plano de Deus e com o propósito de refletir a sua imagem. Porque a criação é algo que define a identidade, os meus sentimentos, não importam quão profundos, permanentes ou originais à minha consciência, não são minha identidade, nem descrevem que tipo de cristão eu sou.

Não, amiga. Eu não estou num casamento de orientações mistas, nem você. Essa falsa categoria incorpora o magnetismo do modernismo à dor pessoal como prova de propósito. Como um Frankenstein, a identidade da modernidade foi feita com os pedaços da mulher que você era antes de se converter. Mas a identidade do evangelho te chama para o futuro. Jesus sempre lidera da linha de frente. Se você está em Cristo, e eu creio que você está, então você é uma nova mulher. Você tem uma identidade de Gálatas 2.20. Se você está em Cristo, então você está no processo de ser santificada (Hebreus 10.14). Você verdadeiramente é quem você será quando você for glorificada um dia.

Vinte anos por dez segundos

Os seus sentimentos pessoais não cancelam vinte anos de casamento pactual e três filhos.

Continuar nesse caminho é como parar no meio de uma pista de seis faixas, com velocidade máxima de 120km por hora, descarregar a van e as crianças e o cachorro e a cesta de piquenique, estender o pano que você ajudou a sua vó a costurar, colocando porções do seu frango preferido e tortas em vasilhas, amavelmente repassando pratos de pura bondade para cada membro da família e olhar pela última vez para a vida pela qual você orou, se sacrificou e recebeu.

Antes de você conseguir comer, toda a sua família será esmagada pelo peso desse pecado. Talvez você tenha tempo de ver o seu reflexo fantasmagórico na frente de metal de um caminhão quando ele atropelar vocês, onde os rostos agonizantes dos seus filhos dirão tudo. O processo de destruir o seu casamento, e todas as esperanças e sonhos que ali estão, vai durar cerca de 10 dez segundos.

Porque é assim que o adultério funciona.

Três maneiras de prosseguir

Então, minha amiga, eu agradeço de você ter vindo para a minha cozinha hoje. Porque hoje é o dia que o Senhor separou para você encarar a realidade.

Primeiro, arrependa-se das suas crenças pecaminosas. E não só pelos pecados práticos que fluem delas. Chamar a atração homossexual de “um bem genuíno” ou lhe chamar de uma “dádiva” de Deus que você crê estar enraizado em algo piedoso é um exemplo de uma crença pecaminosa. Ela nega que todo o pecado, incluindo o pecado da concupiscência, desejo e identidade homossexual, entrou no mundo com a queda de Adão.

O poder do evangelho para salvar te dá o poder de viver em alegria como uma esposa fiel ao seu marido piedoso. Arrepender-se de suas crenças pecaminosas esclarece as nossas responsabilidades e o nosso propósito.

Segundo, abrace o chamado que Deus te deu de ser a esposa do seu marido. O seu casamento não é um acidente arbitrário; Deus te chamou a ele na sua providência perfeita. E a providência de Deus é a sua proteção.

As suas divisas caíram em lugares amenos (Salmos 16.6). Ore para olhos para ver isso. Recupere o seu compromisso por um amor de uma só carne com o seu marido. Orem juntos para que os seus corações sejam postos juntos por meio de Cristo. Tome tempo para falar honestamente sobre como o seu corpo funciona. Mostre para ele. Tome tempo para preservar o seu leito matrimonial como um lugar de alegria e conforto e prazer. Faça sexo frequentemente. Esse é o remédio de Deus para um casamento saudável. Ser uma só carne é mais do que sexo, mas não é menos do que sexo. O seu marido não é o seu colega de quarto. Tratá-lo como tal é pecado.

Terceiro, respeite o seu marido. Aprenda com ele durante as devocionais em família. Encoraje-o a liderar. Faça isso se você se sentir afim ou não. Se você se dedicar a encorajar o seu marido a liderar em oração, ele vai crescer no seu papel assim como você crescerá no seu. Talvez você se sente como se fosse uma líder melhor e uma cabeça de maior sucesso. A boa nova é esta: os seus sentimentos não são o seu Deus. O seu Deus é o seu Deus.

O que o adultério diz sobre Deus

Você está na beira de um penhasco, amiga. No fim do dia, você pode cair nos braços dessa mulher. Se sim, isso não vai expressar o seu “amor” por essa mulher ou o dela por você ou a sua integridade pessoal de sair do armário. Não, amiga. O adultério revela o seu desdém pelo seu Deus. Se o seu melhor como cristã é simplesmente oferecer a obediência que a carne admite, você calcará aos pés o sangue do seu Salvador.

No fim do dia, você pode se arrepender das crenças pecaminosas que continuam uma panela agitada e ardente de dor e problema. Isso exprime a sua humilde obediência a Deus. Isso revela uma fé heróica, abastecida pela graça soberana, disposta a caminhar pelas dificuldades e abraçar o marido que Deus escolheu para você. 

Amiga, isso trata mais de Deus do que de você. Sempre é assim. Que Deus te dê essa fé heróica e que você possa descansar no plano perfeito dele para você.

Original aqui.

Traduzido por Guilherme Cordeiro.