Doutrina/Teologia

23 de julho de 2012
 

A necessidade da expiação

Mais artigos de »
Escrito por: André Aloísio

Quando se fala em salvação, um assunto extremamente importante e pertinente que deve ser levado em consideração é a expiação. A expiação pode ser definida em termos gerais como “a obra que Cristo realizou em sua vida e morte para obter nossa salvação” (GRUDEM, 1999, p.471).

Quando se trata da expiação, por sua vez, uma discussão que lança muita luz sobre a sua natureza é aquela que envolve a necessidade da expiação. Por que, para salvar o homem, Deus optou por esse plano de salvação e não por outro? Por que Ele não salvou o homem meramente por um decreto de Sua vontade? Era realmente necessário que Cristo se tornasse homem, morresse e, essa morte fosse numa cruz?

No decorrer da história da Igreja, essas perguntas foram respondidas basicamente de duas formas, que recebem o nome de necessidade relativa (ou necessidade hipotética) e necessidade absoluta (ou necessidade consequente) da expiação.

A proposta deste trabalho será, em primeiro lugar, apresentar essas duas posições sobre a necessidade da expiação, em seguida, mostrar como elas foram defendidas no decorrer da história por diversos teólogos, especialmente nos períodos da Patrística, da Escolástica e da Reforma, e finalmente, concluir com uma rápida avaliação de qual posição se harmoniza melhor com o ensino bíblico.

Faça o Download (arquivo PDF)



Sobre o Autor

André Aloísio
O autor é seminarista no Seminário Teológico do Nordeste e obreiro na Congregação Presbiteriana em José de Freitas (PI).



 
 

 

O evangelho do Reino

Refutação do dispensacionalismo.
por Felipe Sabino
 

 
 

Ainda não é o fim!

Não poucos cristãos ficam alarmados diante das tragédias dos nossos dias. Quer estejamos falando de catástrofes naturais, como o tsunami, ou de decadência moral, como a legalização do “casamento” homossexual, tais ac...
por Felipe Sabino
 

 

 

O céu beijou a terra: a encarnação

O que é a encarnação? É o céu beijando a terra. Como disse o puritano Thomas Goodwin, quando o Filho tornou-se carne, “céu e terra se encontraram e se beijaram, a saber, Deus e o homem”.
por Mark Jones
 

 
 

Sobre o prazer de ler

Quem não me conhece acha que gosto de ler.
por Felipe Sabino
 

 
 

Leitura no céu?

25/09/2013 ─ Que vontade louca de ler todos os livros que estão na minha fila de espera! E comprar dezenas de outros, e devorá-los continuamente. Aqui estou, na página da Livraria Saraiva, com 23 livros no carrinho. Vou ca...
por Felipe Sabino