All Posts By

Editora Monergismo

Vida Cristã

O QUE OS ANJOS DISSERAM

O QUE OS ANJOS DISSERAM Boa vontade para com os homens Essa visão do otimismo histórico† não é tão comum no mundo cristão, e por isso pode parecer bem peculiar às vezes. Mas, felizmente, uma vez por ano a nação inteira parece aderir à nossa maneira de pensar. Você pode estar comprando aqueles produtos de último minuto e não se surpreender ao ouvir os alto-falantes lembrando que “ele vem para fazer suas bênçãos fluírem aonde houver maldição”. Pense neste livro como um pequeno esforço para fazer com que os cristãos creiam em suas canções de Natal o ano inteiro. Temos problemas com isso porque o Natal é sobre graça, e uma das coisas mais difíceis neste mundo é o pecador entender o que é a graça. E, então, tão logo nos damos conta dessa dificuldade, começamos a competir para ver quem “entendeu”, dando aos que apresentam a “resposta certa” o prêmio de melhor da competição. Mas a graça não segue as nossas regras. Graça implica dizer que alguns cujas respostas estavam erradas serão salvos e outros, cujas respostas estavam certas, não. Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. E…
12 de dezembro de 2019
Reforma

O porquê sou protestante – por Carl Trueman

O porquê sou protestante Carl Trueman A semana que precede o 31 de outubro, o período tradicional para lembrar-se da Reforma, é também o momento do ano quando aprecio refletir sobre o porquê sou protestante. Conforme os anos passam, ser um protestante torna-se mais e mais fácil para mim. O Papa Francisco é, afinal de contas, um auxílio contínuo para isso. Com seu aparente desejo de transformar a Igreja Católica Romana em uma forma padrão de protestantismo liberal (um pouco mais colorido, porém), seu programa é menos que convincente para qualquer um que, para tomar de empréstimo uma frase de Newman, aprofundou-se na história. Embora jamais possamos saber a verdade acerca de sua suposta negação recente da divindade de Cristo, o fato é que o boato é um testemunho plausível da falta de entendimento teológico que caracterizou seu pontificado desde o início. Desde os dias gloriosos da Renascença não houve na Igreja Católica um Papa que tenha tornado o protestantismo ortodoxo tão atrativo. É claro, o protestantismo tem seus próprios problemas. A miríade de magistérios dos milhares de ministérios paraeclesiásticos produzem insignificantes esferas de influência para uma infinidade de minipapas evangélicos. E a ortodoxia doutrinária é artigo de luxo: um…
30 de outubro de 2019
Livros

RESUMO “CAPITAL MORAL” – Por Anderson Barbosa

RESUMO “CAPITAL MORAL” DE ROEL KUIPER A Editora Monergismo acaba de publicar a obra “Capital Moral” do filósofo e ex-membro do Senado holandês, Roel Kuiper. O texto propõe uma abordagem sócio-filosófica da formação de Capital Moral a partir de uma perspectiva cristã reformacional. Na introdução do texto, o autor aponta que no mundo moderno, tem-se uma crescente perda dos vínculos comunitários e sociais. A atomização dos indivíduos leva à desconsideração da necessidade que o ser humano tem de uma vida em comunidade. Em contraponto a isso, é necessário mais do que Capital Social (Robert Putnan, Jeffrey Alexander), posto que só busca criar vínculos comunitários que são, por sua vez, desprovidos de potencialidades morais internas. Para Kuiper, é preciso o desenvolvimento de Capital Moral, a saber, “a capacidade (individual e coletiva) de estar junto ao próximo e ao mundo de uma forma preocupada” (p. 24). Por meio de amor e lealdade, é preciso estabelecer relações morais substanciais que capacitem à criação e fortalecimento de vínculos comunitários. Para tanto, o escritor se propõe a discutir, filosófica e socialmente, o porquê e a forma de criar capital moral na esteira do pensamento reformacional (Althusius, Kuyper e Dooyeweerd) a partir dos conceitos de simbiose…
29 de outubro de 2019
Livros

Resenha do livro Fé, Esperança e Amor, de Mark Jones

Fé. Esperança. Amor. (Jake Meador) Um dos debates cristãos perenes é aquele entre escolásticos e pietistas. Os escolásticos creem que você conhece a Deus por meio de estudo teológico metódico e distinções cuidadosas. Para os pietistas, você conhece a Deus por meio da simples leitura da Bíblia e da piedade cristã básica. Os pietistas perturbam os escolásticos ao se recusarem a tratar de problemas teológicos complexos. Os escolásticos perturbam os pietistas gastando uma imensa quantidade de energia debatendo sobre quantos anjos podem dançar no topo de um alfinete, sobre o que, afinal, quem liga? Idealmente, ambos os lados podem aprender algo do outro. Somos, afinal, chamados a adorar a Deus em verdade, portanto, debates sobre atributos divinos ou sobre as maneiras de Deus agir no mundo não são abstratas e sem sentido. Elas são essenciais para entender o caráter de Deus. Semelhantemente, lembretes regulares para prestar atenção nas Escrituras e nas simples disciplinas cristãs são frequentemente necessários. O novo livro de Mark Jones, Fé. Esperança. Amor: o modo cristocêntrico de crescer na graça, é o tipo de obra que satisfaz ambos os grupos. Escrito num estilo catequético e organizado em torno de 58 questões, o livro trata tanto de debates reformados…
27 de setembro de 2019
Vida Cristã

Um dia de “pequenas coisas”, por Vern Poythress

Prepare-se para servir aos feridos de uma feiura cultural iminente. Um inteligente artigo na internet observou que cristãos crentes na Bíblia não alcançaram muito napolítica porque eles não se dedicaram à área mais ampla do conflito cultural. A política em sua maior parte flui da cultura, ao invés de ser levada por ela. A ideia cultural de que as mulheres tem um suposto direito à liberdade “sexual” precedeu à derrubada das restrições ao aborto. Uma vitória temporária na urna eleitoral não reverte uma tendência moral descendente dirigida por porteiros culturais na mídia jornalística, no entretenimento, na arte e na educação. A política não é milagrosa. Então, devemos treinar cristãos para tomarem posições de poder na educação e na mídia? Tal treinamento é uma coisa boa e devemos esticar as nossas imaginações acerca do que Deus pode fazer por meio de nós: “ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos” (Efésios 3.20). Cristãos fiéis já possuem cargos aqui e ali nas universidades e no jornalismo. Uma série de cristãos está fazendo um ótimo trabalho nos filmes e devem ser elogiados por isso. Mas eu temo que podemos ainda assim cair na armadilha de…
25 de setembro de 2019
Vida Cristã

A desgraça da pobreza no ministério, por R.J. Rushdoony

Sobre pastores   Ainda este ano, um amigo de nossa pequena mas ativa fundação cristã nos doou seu carro para usarmos na obra, um Mark IV Continental de 1974. Ele o mantinha em uma condição fabulosa, quase intacto, com pneus novos, e completamente revisado. Naturalmente, é uma maravilha dirigi-lo. O carro é também um interessante barômetro religioso. De tempos em tempos, enquanto viajava para cima e para baixo pelo estado, alguém vinha comentar sobre o carro e sua condição, e perguntar sobre mim e meu trabalho. Algumas vezes, eu dizia que sou escritor — o que de fato sou —, e autor de uns vinte e cinco a trinta livros, todos em circulação. E eles ficavam impressionados. Alguns me falavam sobre carros importados, muito caros e raramente vistos, os quais achavam que me interessariam. Outras vezes eu lhes dizia que sou pastor — o que de fato sou —, e vivo pregando e falando por todo o país. Essa resposta deixava alguns deles descontentes e até mesmo irados! Alguns, que se consideravam “bons cristãos”, falavam com ressentimento a respeito de “pregadores ricos”! Ora, a Bíblia nos diz que “o trabalhador é digno do seu salário”, e que aqueles que trabalham bem…
23 de setembro de 2019
Teologia

Educação superior cristã, por David Naugle

Uma defesa de uma educação superior que é cristã O esforço da Baylor University de reafirmar sua identidade cristã como parte de sua agressiva Visão para 2012 criou controvérsia entre seus membros. Um professor de filosofia da Texas Christian University sugeriu numa publicação institucional recente que o “Christian” fosse removido do nome da universidade porque suscita mal-entendidos e dificuldades. Há mal-entendidos públicos consideráveis sobre as universidades cristãs também. Essas circunstâncias exigem uma defesa da educação superior que é cristã. As teorias e práticas educacionais não são livres de valores, mas supercarregadas filosoficamente. O pensamento educacional moderno é amplamente baseada no naturalismo. A educação superior cristã é derivada de uma perspectiva bíblica que é mais substancial no conteúdo e generosa no espírito do que imaginam seus críticos. Primeiro, a educação superior cristã inclui Deus em sua visão da realidade. Este Deus é trinitário em seu ser, amoroso e justo em seu caráter, é o criador, juiz e redentor do mundo. Ele é o princípio explanatório do universo. Ele é o ponto de referência crucial para o conhecimento. “Admita um Deus”, disse o Cardeal Newman em seu The Idea of a University , “e você introduz dentre os objetos de seu conhecimento um fato abrangendo,…
20 de setembro de 2019
Livros

O Senhorio de Cristo, por Vern Poythress

10 Coisas Que Você Deveria Saber Sobre o Senhorio de Cristo: (Adquira o livro "O Senhorio de Cristo") Cristo é Senhor sobre tudo porque ele é Deus. O Pai é Deus; o Filho é Deus; e o Espírito Santo é Deus. Deus governa sobre todas as coisas em seu controle providencial (Sl 103.19). Portanto, também é verdade que cada pessoa na Divindade reina sobre tudo. Cristo reina sobre tudo. Esse governo é abrangente não só em sua extensão (sobre todo o espaço, todo o tempo e todas as áreas da atividade humana), mas em seus detalhes, sobre cada pardal, cada fio de cabelo e cada átomo. Cristo é Senhor sobre tudo porque em sua natureza humana cumpriu uma obediência perfeita, conquistou salvação para nós e recebeu domínio universal como recompensa. Como resultado de sua ressurreição e ascensão, Cristo foi entronizado à destra de Deus, o Pai, com domínio universal: … exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro. E pôs todas as coisas debaixo dos pés e,…
18 de setembro de 2019
Cosmovisões

O que são religiões não cristãs? Por que elas existem?

O que são religiões não cristãs? Por que elas existem? (Jeremy Bouma com Daniel Strange) Um excerto de “A rocha deles não é como a nossa Rocha”  Essas duas questões estão no cerne da disciplina de teologia das religiões. Elas também estão no cerne do novo livro de Daniel Strange  A rocha deles não é como a nossa Rocha. Sua obra inteligente, cautelosa e biblicamente fiel preenche uma lacuna crucial na avaliação evangélica sobre o papel de outras religiões. Nela, ele busca explicar e defender esta definição de religião que responde as nossas perguntas: “A partir do pressuposto de uma revelação bíblica epistemologicamente autoritativa, as religiões não cristãs são respostas humanas idólatras à revelação divina soberanamente direcionadas, variadas e dinâmicas, estando por detrás delas forças demoníacas enganadoras. Sendo antiteticamente contra, mas parasiticamente dependentes de, a cosmovisão cristã, as religiões não cristãs são “cumpridas subversivamente” no evangelho de Jesus Cristo” (p. 239 do original) Leia o excerto abaixo para ter noção do valor da obra de Strange e ver ideias ainda mais valiosos sobre a razão e a natureza das religiões não cristãs Porque a rocha deles não é como a nossa Rocha (Deuteronômio 32.31, ARA) Da perspectiva da fides quaerens intelletum (fé…
16 de setembro de 2019
Vida Cristã

A importância de agradar ao Senhor acima de qualquer outro na vida profissional, por John Murray

É no contexto dessa exortação que o apóstolo coloca o seu dedo sobre o vício cardeal do nosso trabalho: fazemos isso para agradar homens. “Servos, obedecei em tudo ao vosso senhor segundo a carne, não servindo apenas sob vigilância, visando tão somente agradar homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor” (Colossenses 3.22; cf. Efésios 6.5-8). Agradar os homens toma múltiplas formas e com essas formas se conecta uma variedade igualmente grande de vício. Mesmo quando o trabalho mais satisfatório é realizado e mesmo que grande prazer possa ser derivado de fazê-lo por consideração do homem, quer como mestre quer como simples apreciador de nosso trabalho, mesmo aí tanto a motivação quanto a realização violam o primeiro princípio do trabalho: “servindo de boa vontade, como ao Senhor não como a homens" (Efésios 6.7), por mais alto que seja na escala dos valores humanos tal serviço quando comparado com um trabalho mal-feito. É este princípio que põe todo serviço só para inglês ver e o agrado aos homens na categoria de pecado. A vocação mais sagrada na terra, a proclamação da Palavra de Deus pela palavra oral ou escrita, prostitui-se em adoração a homens ao invés de dedicada ao louvor a…
12 de setembro de 2019