All Posts By

Kenneth Gentry

Casamento e FamíliaVida Cristã

Não Destruirás a Família

Nosso Deus é um Deus da família. No coração dos planos de Deus para o homem está a família. É a mais antiga e básica instituição criada por Deus entre os homens. Nesta manhã, nós abordaremos um texto contendo duas leis relacionadas à família. Segundo o esboço de Deuteronômio que já observamos em nossas séries, esta passagem está localizada na seção que explica o Sexto Mandamento , “Não Matarás”. Já estudamos nesta seção a extensão de Moisés para o Sexto Mandamento quanto à pena capital e às leis de guerra. Essas, obviamente, encaixam-se no padrão. Contudo, à luz deste esboço, a passagem diante de nós pareceria, à primeira vista, estar no lugar errado. Essas leis seriam mais relevantes se estivessem na seção anterior lidando com o Quinto Mandamento, “Honra teu pai e tua mãe”. Afinal, esta parte se ocupa dos problemas concernentes às relações familiares. Mas como sói acontecer, as leis de Deus se sobrepõem e entrelaçam-se umas nas outras como uma vestimenta sem costura. As duas leis sobre que refletiremos nesta mensagem relacionam-se, claro, com o Quinto Mandamento. Mas na forma com que aparecem no nosso texto, elas consideram a família em termos de proteção e sucessão. Estas, portanto,…
25 de fevereiro de 2012
Teologia

O Caso a Favor do Otimismo Histórico

Vivemos num modo que sofre grandes problemas e tribulações, naturais e humanos, legais e morais. Como pode o cristão sustentar uma perspectiva otimista sobre o futuro? Pode um cristão instruído esperar realmente um progresso acelerado dos efeitos do evangelho entre os homens? Como pode a esperança pós-milenista ser seriamente considerada entre os estudantes cristãos do cenário mundial? Essas são perguntas reais e legítimas que freqüentemente servem como desafios retóricos a qualquer otimismo escatológico.
2 de janeiro de 2012
Teologia

Fundamentos Teológicos do Pós-Mileranismo

O pós-milenarismo espera que a grande maioria da população mundial se converta a Cristo como conseqüência da proclamação do evangelho pelo poder do Espírito. À luz das condições do mundo atual, muitos cristãos estão surpresos com a resistência da esperança pós-milenar. Antes de fornecer uma evidência exegética positiva para a posição pós-milenar, mostrarei de modo breve que, embora essa esperança na vitória do evangelho seja estranha para o evangélico moderno, a teologia básica bíblica lhe é inata.
2 de janeiro de 2012
Teologia

2 Timóteo 3.1-4, 13

Empregando esses ou versículos similares, o pré-milenista Kromminga e os amilenistas Hoeksema, Berkhof, Hanko e Morris concordam com Hoekema que “a expectação pós-milenista de uma era dourada futura, anterior à volta de Cristo, não faz jus à tensão contínua na história do mundo entre o Reino de Deus e as forças do mal”. Hendriksen comenta essa passagem: “Esses tempos virão e desaparecerão, e o último será pior que o primeiro. Serão tempos de impiedade crescente (Mt. 24:12; Lucas 18:8), que culminará com o clímax da maldade”.
2 de janeiro de 2012
Teologia

Pós-Milenismo: Um Resumo

O pós-milenismo espera que a proclamação do evangelho ganhe a vasta maioria dos seres humanos para Cristo na presente era. O aumento do sucesso do evangelho produzirá gradualmente um tempo na história antes do retorno de Cristo no qual a fé, justiça, paz e prosperidade prevalecerão nos assuntos do povo e das nações. Após uma extensa era de tais condições, o Senhor retornará visível e corporalmente, e em grande glória, terminando a história com a ressurreição geral e o grande julgamento de toda a humanidade.
2 de janeiro de 2012
Teologia

Sobre a Iminência do Retorno de Cristo

Uma das principais características do interesse profético é a comum convicção do cristão que estamos vivendo à sombra da Segunda Vinda. Em conjunção com um mal-entendimento radical dos últimos dias, encontramos frequentemente a doutrina do retorno iminente de Cristo entre dispensacionalistas, pré-milenistas e amilenistas.
1 de janeiro de 2012
Teologia

Israel e Profecia

O papel de Israel como um povo radicalmente distinto da Igreja é a característica principal do dispensacionalismo. De fato, como Poythress sugere, essa pressuposição teológica é provavelmente a raison d’etre da hermenêutica literalista: “O dualismo de Israel e a igreja é, de fato, o dualismo mais profundo determinando quando e onde o dualismo hermenêutico do ‘literal’ e ‘espiritual’ é aplicado”.
1 de janeiro de 2012
Teologia

O Templo e as Duas Testemunhas

Em Apocalipse 11, João é ordenado a medir o templo interno na “santa cidade” (Jerusalém), onde o Senhor foi crucificado (Ap 11.8). Isso significa a preservação (cf. Zc 2.1-5; Ap 21.15) do pátio interno do templo. Mas o pátio externo do templo é deixado sem medida; assim, é destinado à destruição (Ap. 11.1, 2).
1 de janeiro de 2012
Teologia

Lucas 18.8 e o Pós-Milenismo

Esse versículo tem sido usado ultimamente com grande confiança por dispensacionalistas contra o pós-milenismo. House e Ice comentam com respeito a esse versículo: “Essa é ‘uma pergunta dedutível à qual uma resposta negativa é esperada’. Assim, essa passagem está dizendo que na segunda vinda Cristo não encontrará, literalmente, ‘a fé’, sobre a terra”. Sobre Lucas 18.8 Lindsey escreve: “No original grego, essa pergunta assume uma resposta negativa. O texto original tem um artigo definido antes de fé, que no contexto significa ‘esse tipo de fé’”. Borland concorda: “A fé mencionada é provavelmente o corpo de verdade, ou doutrina revelada, visto que a palavra é precedida pelo artigo definido no original. Aqui não é predito nenhum progresso no clima espiritual mundial”. Wiersbe faz o mesmo: “Os últimos tempos não serão dias de grande fé”. O versículo tem sido usado por amilenistas também, tais como Kuiper e Hanko.
1 de janeiro de 2012
Teologia

Prefácio à Terceira Edição – Teonomia na Ética Cristã

Desde 1977, Theonomy in Christian Ethics tem servido para estabelecer a chave distintiva da Reconstrução Cristã. O Reconstrucionismo Cristão como uma escola distintiva de pensamento dentro da tradição Reformada está fundamentado sobre cinco premissas teológicas básicas: (1) Soteriologia calvinista; (2) teologia da aliança; (3) escatologia pós-milenista; (4) apologética pressuposicional; e (5) ética teonômica: a pedra angular do pensamento reconstrucionista. Sem dúvida, o aspecto mais distintivo do movimento é o tópico deste livro: ética teonômica, que estabelece toda a revelação de Deus na Escritura (incluindo a lei Mosaica) como a fonte de uma ética verdadeiramente cristã em tudo da vida – privada e pública, cultural e política, social e judicial. A primeira vez que tomei ciência da abordagem teonômica na ética foi em 1975, quando foi transferido para o Reformed Theological Seminary (Jackson, Mississippi), após estudar no Grace Theological Seminary (Winona Lake, Indiana). Mediante o meu estudo pessoal e extracurricular no seminário Grace, fiquei frustrado com o dispensacionalismo e intrigado pela teologia da aliança. No meu novo seminário encontrei o seu professor recém-chegado, Greg L. Bahnsen, Professor Adjunto de Apologética. Eu tinha várias aulas com ele — de maneira mais significativa em seus cursos sobre “História e Escatologia” e “Ética Teísta…
31 de dezembro de 2011