Uncategorized

A Justiça de Deus por Joseph Mizzi

By 31 de agosto de 2018 No Comments

“… visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé” (Romanos 1.17)

 Em uma de suas parábolas (Mateus 22.1-14), o nosso Senhor conta a história de um rei que organizou uma festa de casamento para o seu filho. Enquanto o rei estava cumprimentando e encontrando os convidados, ele notou um homem que não estava vestido apropriadamente para a ocasião. “Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial?”, o rei perguntou. O ímpio ficou emudecido e foi expulso.

E nós? Precisamos estar vestidos apropriadamente na presença de Deus. Ele é santo e justo e precisamos estar vestidos em justiça para ficarmos diante dele. 

Há duas vestimentas penduradas no armário espiritual para escolher. A Bíblia as chama de “justiça nossa” e “justiça de Deus”.

Sobre a nossa justiça, a Bíblia não é muito otimista:

Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos arrebatam (Isaías 64.6)

Essa justiça é “nossa” porque trabalhamos por ela por meio da nossa obediência à lei de Deus. Todavia, não obedecemos Deus como deveríamos e então estamos poluídos com muito pecado. Mesmo a nossa justiça é imunda aos olhos de Deus. Os nossos melhores esforços são trapos da imundícia.

Por outro lado, a justiça de Deus é revelada no Evangelho e é belíssima. Cristo trabalhou por essa justiça por meio da sua obediência perfeita à lei de Deus. Jesus obedeceu à vontade do Pai perfeitamente até o ponto da morte na cruz. A justiça de Jesus é o que realmente precisamos para sermos aceitos diante de Deus. “… por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos” (Romanos 5.19).

O apóstolo Paulo era uma pessoa muito devota e religiosa. Ele poderia ter se orgulhado de sua irrepreensibilidade em observar a lei (Filipenses 3.6). Como um filho de Deus, ele não o fez. Ele voluntariamente abandou toda a sua justiça pessoal para que ele pudesse ser vestido da justiça providenciada por Deus em Cristo. Paulo ansiava ser “achado nEle [em Cristo], não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé” (Filipenses 3.9).

A justiça de Deus é dada a nós pela fé quando confiamos a nossa salvação nas mãos do Senhor Jesus.

Podemos imaginar a vergonha e desespero que experimentaríamos se aparecêssemos diante de Deus vestidos nas vestes poluídas da nossa justiça própria? Como o homem na parábola, vamos ser expulsos para a escuridão externa onde haverá choro e ranger de dentes.

Precisamos tirar e jogar fora as vestes da nossa justiça. Em vez delas, temos de colocar a justiça de Cristo para que possamos estar vestidos apropriadamente na presença de Deus. Então, podemos regozijar alegremente e cantar sobre a maravilhosa graça de Deus para conosco:

Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus; porque me cobriu de vestes de salvação e me envolveu com o manto de justiça. (Isaías 61.10)

Este é o capítulo 6 do livreto Right with God de Joseph Mizzi.

Tradução por Guilherme Cordeiro.