Outras Categorias

10 de abril de 2015
 

Mudanças na Confissão?

Mais artigos de »
Escrito por: Gordon H. Clark
Tags:

 

 

Visto que ninguém alega que a Confissão de Westminster é inerrante, ela está teoricamente sujeita a melhoria. Mas assumindo que o objetivo da reformulação inclua a preservação de todo o pensamento inalterado, e que não se trata de uma dissimulação para rebaixar os padrões, alguém deve ainda fazer duas perguntas: a geração atual é capaz de melhorar o credo? E, se sim, valeria a pena a energia?

Uma resposta à segunda pergunta seria um subsídio do governo para que centenas de teólogos pudessem se encontrar por cinco anos numa catedral nacional. Ou agora somos tão hábeis que um comitê de três poderiam fazer o trabalho num verão?

Não seria uma tarefa fácil. Quem desempenharia o papel de George Gillespie? Ou do moderador Twisse? E de Samuel Rutherford? A capacidade teológica de tais homens era enorme; o dr. J. Gresham Machen afirmou que ela não poderia ser duplicada hoje.

Em adição ao conhecimento de teologia deles, o domínio do inglês é dificilmente igualado numa época em que Joãozinho não pode ler.  Exemplos de palavras e fraseologia, a precisão das quais os teólogos contemporâneos poderiam ser duramente impelidos a duplicar, são os verbos “imputar” e “transmitir” e a frase “qualquer bem espiritual que acompanhe a salvação”.

O que parece mais necessário é um estreitamento dos votos de ordenação que hoje permitem uma subscrição muito vaga ao “sistema de doutrina”, e não severamente a cada uma das doutrinas.

Finalmente, a única coisa que eu mudaria seria adicionar a palavra “inerrante”.

 

 

Fonte: The Presbyterian Journal, 21 de junho de 1978, p. 9.

Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto, 10/04/2015.



Sobre o Autor

Gordon H. Clark
Gordon H. Clark
Gordon Haddon Clark (1902–1985) was a philosopher and Calvinist theologian and taught philosophy at the college level for most of his life. He was an expert in pre-Socratic and ancient philosophy and was noted for his rigor in defending Platonic realism against all forms of empiricism, in arguing that all truth is propositional, and in applying the laws of logic. The Trinity Foundation continues to publish his writings and other books as well.



 
 

 

Apontamentos da história da Assembleia de Westminster

A Assembleia de Teólogos de Westminster (1643-1649) foi um grande marco histórico e teológico que fechou um ciclo dourado de produção de documentos confessionais.
por Raneire Menezes
 

 
 

29 de janeiro: meu dia.

29 de janeiro sempre foi dia de festa em minha casa. Ao menos em meu coração. O dia continua impregnado em minha alma, embora com um sabor diferente desde 2006. Afinal, em 16 de julho de 2005 faleceu Francisco Sabino de Araú...
por Felipe Sabino
 

 
 

Jesus Cristo, o ungido do Senhor, reina para sempre

O salmo dois, exuberantemente messiânico e centrado no senhorio de Deus sobre todas as coisas, principia revelando aquela que é a essência do pecado, a rebelião do homem contra o criador; e a recusa do homem em se submeter ...
por José Mario Silva
 

 

 

A linguagem do amor

Um correspondente perguntou-me recentemente (em um tom um tanto acusatório) por que gasto tanto tempo escrevendo sobre as questões do movimento LGBT.
por Carl Trueman
 

 
 

A adoração a Baal

Eis o novo lançamento em kindle da Monergismo.
por Felipe Sabino
 

 
 

Bavinck em kindle.

O teólogo holandês Herman Bavinck (1854-1921) foi um dos maiores teólogos reformados dos últimos séculos. A Editora Monergismo acaba de lançar uma das suas mais importantes obras, ao lado da sua dogmática: A filosofia ...
por Felipe Sabino